Agora, com diferentes jogadores, a saga continua. Para tal, existiu a necessidade de responder a um questionário de "mil e uma" perguntas sobre "Futebolês". Registando-se um aproveitamento de 100% ...
É este o resultado...

quarta-feira, 30 de abril de 2014

O Chelsea não foi é feito para jogar coisa alguma.

"O Chelsea não foi feito para jogar futebol e sim para jogar em contra-ataque" - Hazard   

É com alguma vergonha que afirmas isto, suponho. Se uma equipa de futebol não está treinada e criada para jogar futebol, então está treinada para fazer o quê? Vindo de quem vem, e sem ter o mínimo conhecimento do que te vai na cabeça, a ti, a ti deve custar. Mas deve custar 1239 vezes mais ao Óscar ficar no banco para ver o Azpilicueta estar por lá, porque tu Hazard, ao menos ainda vais jogando. O mal continua depois com a subida recorrente de Pepe’s e David Luiz’s para o meio campo.

O Chelsea não foi é feito para jogar coisa alguma. Desde alguns anos para cá, que as equipas do outrora Rei se baseiam numa organização defensiva espetacular tendo como ponto bem assente um fim. E o seu fim é o de não sofrer golos. Ao assegurar que não sofre golos, liberta 3 ou 4 jogadores com uma capacidade individual muito acima da média que ele acredita que (eventualmente) farão algum golo.  


Esta ideia não podia estar mais...errada! Todos os jogadores são importantes no processo defensivo…infelizmente, olhando para o Chelsea a jogar, nem todos os jogadores são importantes no processo ofensivo. Uma equipa deve defender com o intuito de recuperar a bola. Defender não pode ser visto como um fim em si mesmo. Defende-se para se poder atacar de novo. Um ciclo sem fim… ataque-defesa-ataque-defesa (…) defende-se para atacar melhor, e ataca-se bem para recuperar a bola rapidamente pois a perda de bola será (sempre!) inevitável. Não sejamos eruditos de coisa nenhuma, no futebol uma equipa ou tem a bola ou não, ou está a atacar ou está a defender, não existe nenhum meio termo ! Não devemos cair no erro de achar que tácticas só existem a defender. Como o Rei diz a seguir... "apenas atiram as bolas para fora... para o ar...", e eu digo que só atira para fora quem não consegue sair a jogar !



video

Claro que depois chegando ao final do jogo se ouve algo do género: “Sofremos golos em erros individuais... pequenas distrações... pequenas desconcentrações... " Pudera !!! Quem o diz que se ponha durante 90 minutos constantemente preocupado com princípios defensivos, em ocupação de espaços, em coordenação de controlo de profundidade, de largura… estranho seria se a desconcentração de um ou outro elemento não surgisse…desconcentrações essas que poderão ou não ser aproveitadas. Eu bem sei que este jogo podia ter dado para o Chelsea, mas eu ainda espero pelo dia em que vou ver um jogo sem saber se os remates feitos deram golo ou não, fazia com que todas as pessoas olhassem MAIS para o jogo, e MENOS para o resultado.
Voltando às palavras de Hazard, um pequeno génio encarcerado no meio desta pseudo-táctica de futebol,  o Rei critica esta mesma táctica no vídeo supra-visualizado. Futebol é jogar em contra-ataque. Futebol é jogar em ataque rápido. Futebol é jogar em ataque organizado. É ser agressivo a defender. É defender com superioridade. É ser-se superior em inferioridade. É rematar de longe. É passar 1000 vezes antes de marcar. É não ter a bola durante 5 minutos, recuperá-la, fazer um simples passe e marcar. É fintar a equipa adversária toda. Futebol são emoções (!!!) que devem ser utilizadas como uma vantagem!!!!! É fazer e viver tudo isto... quando o jogo nos pede que o façamos ! Uma equipa de topo deve estar TREINADA de acordo com a imprevisibilidade natural do jogo. Deve estar TREINADA de forma a poder responder a todos os estímulos possíveis e impossíveis, com a melhor resposta possível, de acordo com as características dos seus jogadores. Será sempre tudo, uma questão de contexto.


Reduzir todo o jogo à defesa de um guarda-redes é enganares-te a ti mesmo Rei Mou. Não perdeste a eliminatória aí e tu sabes. Perdeste-a e isso não se explica com as habituais parvoíces numéricas estatísticas. Perdeste com números sim... com os números dos jogadores (de futebol) que (não) puseste em campo.

Ps: Serás para sempre o meu ídolo. Ídolo esse que hoje apareceu na press conference relaxado, tranquilo e a admitir a superioridade de um adversário, coisa rara. Quer isto dizer que para o ano há mais... mais futebol espero...

                                        Miranda M.

Sem comentários:

Enviar um comentário